Número total de visualizações de página

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Praia do Carvalhal








































Praia do Carvalhal

" Carvalhal – Localiza-se a poucos quilómetros a sul da Zambujeira do Mar. O acesso faz-se por terra batida, mas outro itinerário possível tem como referência a povoação de Brejão. Nos últimos anos, esta simpática praia tem constituído uma alternativa aos concorridos areais da Zambujeira. Apresenta-se num quadro natural caracterizado por um vale profundo, recortado por um riacho que atravessa a praia até ao mar. É uma praia concessionada, sendo a vigilância da competência do concessionário. "

Praia do Barril





























Vila Alva














Igreja de Santo António














Antiga escola primária ( agora sede do clube)




















Arruamento

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Porto Côvo














































Ilha do Pessegueiro

"A ilha do Pessegueiro, ao largo de Porto Covo, a cerca de 250 metros da actual linha de costa, é um dos ex-libris da Costa Sudoeste. A ilha, naviforme, tem cerca de 340 metros de comprimento e uma largura máxima de 235 metros. É toda ela de arenito dunar assente sobre xistos e deve ter-se formado durante a última glaciação (Wurmiana) quando o nível do mar desceu cerca de 120 metros em relação ao nível actual."


Alcoutim



































Estátua do Contrabandista

"Situa-se na zona baixa de Alcoutim, junto ao rio Guadiana e é alusiva ao contrabando, que existia em toda a margem do rio. Ainda que ilícita, esta atividade foi importante como meio de subsistência dos alcoutenejos. Vivendo da pastorícia e da agricultura, com predominância na cerealicultura, os alcoutenejos trocaram muitas vezes estas atividades pelo contrabando, mais problemático e mais arriscado, mas mais rentável.Frei João de José refere no séc. XVI o comércio clandestino de gados para Castela, feito acima de Alcoutim. Sabe-se também que, em meados do séc. XVI, algumas pessoas compravam escravos para levar para Castela e que os passavam por Alcoutim, sem pagar a dizima da lei. Trigo e outros cereais, figos, ovos e gado (a carne valia mais em Espanha), entre outros, passavam perto da vila alcouteneja, nas épocas em que afluíam os compradores a Sanlucar."

Fonte; http://www.cm-alcoutim.pt

Tavira






















































Pego do Inferno

"O lindíssimo Pego do Inferno situa-se na freguesia de Santo Estêvão, a cerca de 7km de Tavira, e constitui uma das mais bonitas paisagens Algarvias, embora que distinta da imagem turística do Algarve da costa dourada.
O Pego do Inferno é uma das quedas de água da ribeira da Asseca, um dos mais importantes cursos de água da região de Tavira.

Recentemente esta lindíssima envolvente foi submetida a uma eficaz requalificação do espaço, delineando um agradável percurso, que enriqueceu ainda mais toda a paisagem. De facto, o ponto alto deste percurso é o bonito “Miradouro do Pego“, onde se pode admirar a grande beleza da queda de água que deleita quem a visiona, e oferece mergulhos refrescantes nos meses de verão.

A queda de água forma uma lagoa redonda, de um verde mediterrânico, rodeada de uma refrescante área arborizada.

O acesso ao Pego do Inferno, após o estacionamento, faz-se durante cerca de 100 metros até se aceder a uma escadaria de madeira, começando aí o percurso propriamente dito, levando a descida até ao Pego cerca de 300 a 400 metros.

A Lenda do Pego do Inferno
Diz-se que há muitos anos, uma carroça se despenhou no pego, caindo os ocupantes na lagoa. Os cadáveres dos ocupantes da carroça e os dos animais que a puxavam nunca foram localizados e os mergulhadores não conseguiram encontrar o fundo da lagoa, chamando então ao local “Pego do Inferno. "

Fonte; http://www.guiadacidade.pt

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Vila Nova Milfontes





















































Vila Nova Milfontes

"Desde cedo apelidada de Princesa do Alentejo, a Vila de Milfontes é uma pequena vila alentejana com muitos atractivos. Situada no Concelho de Odemira (Alentejo), na foz do rio Mira, em pleno Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, Vila Nova de Milfontes é uma vila pesqueira com uma forte ligação ao mar o que lhe confere uma beleza natural inigualável. As suas vastas e belas praias desertas, águas cristalinas e dunas douradas são o ex-libris da região. Em contraste com o belo panorama litoral, a paisagem interior é marcadamente reconhecida pelas típicas planícies alentejanas de sobreiros, entre outras espécies habitualmente observadas nesta região do país.Dois dos mais importantes momentos da história de Milfontes podem ser recordados no actual Largo Brito Pais. A fortaleza (actualmente uma unidade hoteleira) foi mandada construir por D. João IV, para prevenir incursões pelo rio. O monumento aos aviadores recorda que foi dos campos vizinhos que descolaram Brito Pais, Sarmento de Beires e Manuel Gouveia, em 1924, para um arriscado voo que os levaria a Macau.Em Vila Nova de Milfontes, recomenda-se a descoberta do estuário do Mira, por onde, há muitos séculos, andaram celtas, fenícios, gregos, cartagineses e, claro, romanos e árabes. O clima ameno, a sua arquitectura típica, a gastronomia alentejana da região e outras actividades de lazer, que a região lhe oferece, são factores mais que suficientes para justificar uma visita a esta localidade. "
Fonte; http://www.guiadacidade.pt

Vila de Frades




















































Igreja Matriz de Vila de Frades

"A majestosa Igreja Matriz, situada mesmo no centro da Vila, é um dos locais mais dignos de serem visitados nesta freguesia, não só pela sua grandiosidade exterior, mas também pela beleza e simbologia do seu Altar Mor. Não se encontra regularmente aberta ao público, mas pode ser visitada por prévia marcação junto do Pároco local, ou na Junta de Freguesia tel: 284441762. "

Fonte; http://www.viladefrades.pt

São Lourenço















































Igreja de São Lourenço


"A Igreja de São Lourenço de Almancil foi construída na primeira metade do séc. XVIII, em estilo barroco.
A decoração no interior é uma referência da arte azulejar e do estilo barroco nacional. O retábulo do altar-mor é de talha dourada e as paredes estão integralmente revestidas de azulejos historiados, com cenas da vida de São Lourenço, da autoria de Policarpo de Oliveira Bernardes. O conjunto, datado de 1730, é um dos mais representativos da adaptação do azulejo à arquitectura, tão característico da arte sacra portuguesa."

Fonte; http://www.visitportugal.com

Faro




















Arco da Vila




















Sé de Faro




















Arruamento




















Câmara Municipal de Faro




















Arco da Rua do Repouso

Centro Histórico de Faro

"O Centro Histórico corresponde à área mais antiga da cidade constituindo-se pelos núcleos da Vila-Adentro, Mouraria e Bairro Ribeirinho por apresentarem maior homogeneidade. Abrange uma área de 39,9, onde têm sido identificados vestígios arqueológicos que testemunham a histórica milenar da cidade de Faro."




Península do Ancão




















Península do Ancão - Praia de Faro















Península do Ancão - Quinta do Lago














Península do Ancão - Quinta do Lago

"É na Península do Ancão que se situa a Praia de Faro, numa extensão de areal que se prolonga por vários quilómetros,
separando o sistema lagunar do Oceano Atlântico.
A diversidade da fauna e flora existente é um dos aspectos notáveis da Ria Formosa. É de realçar a área do Sapal, muito
rica em espécies vegetais, constituindo um local de abrigo para aves de arribação vindas do norte e centro da Europa."