Número total de visualizações de página

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Viana do Alentejo














































Viana do Castelo

"Arquitectura militar. Gótica. Monumento típico da arquitectura militar da fase alentejana da reconquista e repovoamento, embora em cota relativamente mais baixa do que os seus congéneres como Portel.
Acesso: Viana do Alentejo, na cota suprema do pequeno monte onde se implanta a Vila, bem visível
Protecção: MN, Dec. 16-06-1910, DG 136 de 23 Junho 1910, ZEP, DG 150 de 30 Junho 1948
Enquadramento: Urbano, na cota suprema de pequena elevação encaixada na vertente N. da Serra de Viana, isolado na periferia da Vila, em destaque
Descrição: Edifício de planta pentagonal, ligeiramente irregular, com a base exposta a S. e a ponta a N., constituído pela articulação de 5 cortinas de muralha, constituindo os lados da figura e 5 torreões cilíndricos fazendo os vértices. Cobertura de adarve sobre as cortinas e de coruchéus de alvenaria exposta sobre os torreões. As fachadas, respectivamente a S., E., O., NE. e NO., rasgadas apenas por estreitas frestas seteiras, são rematadas por merlões e ameias; nas cortinas expostas a S. e a NO. Rasgam-se respectivamente as portas da Matriz, principal, e a da Misericórdia, que se abre directamente para o nártex do templo.
Utilização Inicial: Militar / Residencial
Utilização Actual: Marco histórico-cultural (encerrado)
Propriedade: Pública: estatal
Afectação: IPPAR, DL 106F/92, de 01 Junho
Época Construção: séc. 14
Cronologia: 1313 - fundação, doação do Rei D. Dinis de 100 Lbrs para edificação do Castelo; 1490 (c.) - levantamento e reboco da cortina, ameias e coruchéus
Tipologia: Arquitectura militar. Gótica. Monumento típico da arquitectura militar da fase alentejana da reconquista e repovoamento, embora em cota relativamente mais baixa do que os seus congéneres como Portel (070905001).
Características Particulares: Castelo implantado em cota muito baixa, sujeito às elevadíssimas cumeeiras dominantes da Serra de Viana
Dados Técnicos: Estrutura autónoma, paredes autoportantes
Materiais: Alvenaria de pedra
Bibliografia: ALMEIDA, João de, Roteiro dos Monumentos Militares Portugueses, III, Lisboa, 1948; ESPANCA, Túlio, Distrito de Évora, Concelho de Viana do Alentejo, in Inventário Artístico de Portugal, XIX, SNBA, 1978.
Documentação Fotográfica: DGEMN: DSID
Intervenção Realizada: 1940 - Reparo geral, concerto de paramentos da cortina e ameias"


Pechão

































Pechão

"Pechão é uma freguesia portuguesa do concelho de Olhão, com 20,31 km² de área e 3 033 habitantes (2001). Densidade: 149,3 hab/km². A sua principal actividade é a agricultura.

Pechão é capital de freguesia desde 1593, pertencente ao Termo de Faro, e só em 1826 foi integrada no Termo de Olhão.

É uma pequena aldeia rural, onde abundam as amendoeiras e figueiras que se situa a cerca de 4 km de Olhão e de Faro.

A pequena Igreja de Pechão destaca-se por se encontrar no ponto mais alto da localidade. Daqui encontra-se uma bonita vista que alcança toda a região até ao mar.

Uma curiosidade interessante é que anexa à Igreja, e em plena rua, vemos uma pequena Capela dos Ossos.

Podemos ainda visitar a Fonte Velha, a Casa-Museu de Pechão e o Chalé de Belamandil, o Solar do Torrejão, os moinhos de costa e a nora dos 3 engenhos em Belamandil.

Foi recentemente inaugurado no Largo da Igreja uma pequena galeria onde se realizam exposições temporárias de pintura."


Fonte; http://pt.wikipedia.org/wiki/Pech%C3%A3o