Número total de visualizações de página

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Olhão - P&B



























Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário

"Edifício setecentista, foi construído com o contributo dos pescadores, como prova uma placa com a seguinte inscrição: À custa dos homens do mar deste povo se fez este templo em que só haviam umas palhotas. A capela-mor, decorada com talha barroca tem no tecto um fresco representando a padroeira, do século XVII. Na retaguarda está a Capela de Nossa Senhora dos Aflitos, alvo de devoção dos pescadores."





















Igreja Nossa Senhora da Soledade

"Edifício construído no séc. XVIII, denominada como a “igreja pequena”. No seu interior destaca-se a imagem de Santa Luzia, sendo os retábulos do séc. XIX.
Igreja Paroquial da Fuzeta - integra imagens do séc. XVIII. O seu adro é um miradouro sobre a vila, com deslumbrante vista sobre a Ria Formosa e do mar."

Faro _ P&B




















Convento dos Capuchos

"Situado na Rua Serpa Pinto, antes Rua dos Capuchos, foi construído a partir de 1620.
Aquando da construção da cerca seiscentista ficou no seu interior.
Com o Liberalismo, foi ocupado e remodelado pela Guarda Nacional Republicana; serviu também de cadeia comarcã.
De realçar o pequeno claustro e a igreja, que apresenta uma interessante ornamentação barroca com manifestações de talha e de azulejaria.
No interior esteve instalado o Museu Arqueológico e Lapidar Infante D. Henrique, desde 1914 até que, em 1973, o espólio foi transferido para as actuais instalações, no antigo Convento de Nossa Senhora da Assumpção.
A igreja do Convento dos Capuchos tem hoje funções exclusivamente funerárias. "
Fonte;http://www.cm-faro.pt/portal_autarquico/faro/v_pt-PT/menu_turista/concelho/cultura/patrimonio_historico/monumentos/Convento+dos+Capuchos.htm





















Igreja Nossa Senhora do Carmo

"A Igreja de Nossa Senhora do Carmo ou Igreja do Carmo é um edifício "notável da cidade de Faro, situado no Largo do Carmo.
Foi fundada em 1713 pelo Bispo D. António Pereira da Silva, tendo sido responsável pelo projecto inicial o Padre Frei Manuel da Conceição, de Lisboa. Em meados do mesmo século o edifício sofreu grande remodelação e acrescentos, tendo-se destruído a fachada original. O novo traçado foi concebido pelo mestre pedreiro Diogo Gonçalves, em 1747. As obras prolongaram-se até 1878 (nomeadamente com a construção das torres da fachada).
Merecem destaque no interior do edifício a ornamentação da sacristia, o acervo de imaginária da Procissão do Triunfo e uma Capela dos Ossos."












Porto de Recreio de Faro

Parque da Nações _ P&B



























Parque das Nações

"O Parque das Nações é a designação actual da antiga Zona de Intervenção da Expo, que inclui o local onde foi realizada a Exposição Mundial de 1998 e ainda todas as áreas sob administração da ParqueExpo, S.A. Esta área tornou-se, entretanto, um centro de actividades culturais e um novo bairro da cidade, com perto de 15.000 habitantes (prevendo-se que o total de população seja de 25.000, daqui a poucos anos), com várias instituições culturais e desportivas próprias. O Parque das Nações é actualmente considerado como o bairro mais seguro e mais bem frequentado da cidade de Lisboa.

A sua arquitectura contemporânea, os espaços de convívio e todo o projecto de urbanização e requalificação urbana trouxeram nova dinâmica à zona oriental da cidade de Lisboa que, em 1990, ainda era uma zona industrial.

Destacam-se, como exemplos da arquitectura presente no Parque das Nações, as abóbadas das plataformas da Gare do Oriente, deSantiago Calatrava, impondo a sua linha arquitectónica; o Pavilhão de Portugal, do arquitecto português Álvaro Siza Vieira, que tem por entrada uma imponente pala de betão pré-esforçado, que se baseia na ideia de uma folha de papel pousada em dois tijolos, abrindo o espaço à cidade para albergar os diversos eventos que um espaço desta escala acolhe.

O Parque dispõe de um Pavilhão do Conhecimento, um moderno museu de ciência e tecnologia com várias exposições interactivas; umteleférico transporta os visitantes de uma ponta à outra da área da antiga exposição. De referir ainda o Pavilhão Atlântico, a emblemáticaTorre Vasco da Gama, o edifício mais alto da cidade, o Oceanário de Lisboa, um dos maiores aquários do mundo.

Aproveitando a sua localização geográfica, o parque orgulha-se também da sua moderna marina. A Marina Parque das Nações, apresenta 600 postos de amarração destinados a embarcações de recreio, assim como infra-estruturas, preparadas para acolher grandes eventos da actividade náutica, dispondo para o efeito de um cais de eventos e uma Ponte Cais não só para embarcações de cruzeiro ou históricas de grande porte mas também como área de apoio para eventos em terra. A marina ganha assim uma côr especial, ao estar situada em plena reserva natural do estuário do Tejo.

O Parque das Nações é administrado, actualmente, pela ParqueExpo, S.A. A zona pertencente ao Concelho de Lisboa irá ser transferida para a administração da Câmara Municipal de Lisboa no início de 2006. A zona pertencente ao Concelho de Loures ainda não tem data de transferência negociada.

Legalmente, o Parque das Nações divide-se pelas freguesias de Santa Maria dos Olivais, no Concelho de Lisboa, e de Moscavide e Sacavém, no Concelho de Loures. Vários sectores da população do Parque e algumas entidades defendem a criação da Freguesia do Oriente, no Concelho de Lisboa, que englobe as três áreas numa só administração, de forma a que o fim da gestão urbana da ParqueExpo, S.A. não signifique o retalhar do Parque das Nações.

Existem já várias entidades e organizações com origem na comunidade residente do Parque das Nações, como, por exemplo, o Clube Parque das Nações, a Associação de Moradores e Comerciantes do Parque das Nações, para além de empresas e instituições variadas."


Fonte; http://pt.wikipedia.org/wiki/Parque_das_Nações

domingo, 30 de janeiro de 2011

Vila de Frades _ P&B




















Rua Espírito Santo














Jardim




















Museu da Casa do Arco





















Vila de Frades

"Vila de Frades é uma freguesia portuguesa do concelho da Vidigueira, com 25,58 km² de área e 992 habitantes (2001). Densidade: 38,8 hab/km².

Foi vila e sede de concelho independente até 1854. Era constituído apenas pela freguesia da sede e tinha, em 1801, 1 256 habitantes. Em 1836, integrou também a freguesia de Vila Alva. Tinha, em 1849, 2 877 habitantes.

É a terra de nascimento do escritor Fialho de Almeida em 2007 comemoraram-se os 150 anos do seu nascimento, num grande evento realizado nesta freguesia entre 4 e 7 de Maio."


Fonte; http://pt.wikipedia.org/wiki/Vila_de_Frades

Loulé - P&B









































































Santuário Nossa Senhora Piedade

"Nossa Senhora da Piedade ou Mãe Soberana, como é denominada pelos seus devotos, é a padroeira da cidade de Loulé. A edificação da sua ermida data oficialmente do ano de 1553. Anualmente realiza-se a denominada Festa Grande, em honra de Nossa Senhora, que é hoje e desde décadas, considerada como a maior manifestação de religiosidade a Sul do Tejo."

Alcoutim - P&B






















































Alcoutim

"Alcoutim é uma vila portuguesa pertencente ao Distrito de Faro, e região e subregião do Algarve, com cerca de 1 100 habitantes. Até à divisão administrativa, estabelecida em 1832, pertencia à província do Alentejo.

É sede de um município com 576,57 km² de área e 3 272 habitantes (2006) [1], subdividido em 5 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Mértola, a leste pela Espanha, municípios andaluzes de El Granado, Sanlúcar de Guadiana e San Silvestre de Guzmán, a sueste por Castro Marim, a sudoeste por Tavira e a oeste por Loulé e Almodôvar."


Fonte; http://pt.wikipedia.org/wiki/Alcoutim

sábado, 29 de janeiro de 2011

Cachopo - P&B




















Moinho Branco
















Igreja Matriz de Cachopo





















Cachopo

"Cachopo é uma freguesia portuguesa do concelho de Tavira, com 197,56 km² de área e 1 024 habitantes (2001). Densidade: 5,2 hab/km².

A freguesia de Cachopo está situada na zona serrana do concelho de Tavira, mais concretamente na Serra do Caldeirão. Fez parte do concelho de Alcoutim até cerca de1836.

A economia da freguesia tem por base a agricultura, a pecuária, a apicultura e a produção de cortiça."


Fonte; http://pt.wikipedia.org/wiki/Cachopo

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Ria Formosa _ P&B

















































Ria Formosa

"A Ria Formosa é um sapal situado na província do Algarve em Portugal, que se estende pelos concelhos de Loulé, Faro, Olhão,Tavira e Vila Real de Santo António, abrangendo uma área de cerca de 18.400 hectares ao longo de 60 quilómetros desde o rio Ancão até à praia da Manta Rota. E foi considerado um dos mais belos parques do algarve , tendo uma grande função e um belo habitat.

Trata-se de uma área protegida pelo estatuto de Parque Natural, atribuído pelo Decreto-lei 373/87 de 9 de Dezembro de 1987. Anteriormente, a Ria Formosa tinha estatuto de Reserva Natural, instituído em 1978.

A sul é protegida do Oceano Atlântico por um cordão dunar quase paralelo à orla continental, formado por duas penínsulas (aPenínsula do Ancão, que engloba a praia do Ancão e a praia de Faro; e a Península de Cacela, que engloba a Praia de Cacela Velha e a Praia da Fábrica) e cinco ilhas barreira arenosas (Ilha da Barreta, Ilha da Culatra, Ilha da Armona, Ilha de Tavira e Ilha de Cabanas), que servem de protecção a uma vasta área de sapal, canais e ilhotes.

A norte, em toda a extensão, o fim da laguna não tem uma delimitação precisa, uma vez que é recortada por salinas, pequenas praias arenosas, por terra firme, agricultável e por linhas de água doce que nela desaguam (Ribeira de São Lourenço, Rio Seco, Ribeira de Marim, Ribeira de Mosqueiros e o Rio Gilão).

Tem a sua largura máxima junto à cidade de Faro (cerca de 6 Km) e variações que nos seus extremos, a Oeste e a Este, atingem algumas centenas de metros.

Este sistema lagunar tem uma forma triângular e apesar de ser reconhecido como ria, na realidade não o é, uma vez que uma ria é um vale fluvial inundado pelo mar o que não é o caso, uma vez que a laguna não é nenhum vale fluvial e é formada por ilhas barreira. O seu fundo é constituido essencialmente por sedimentos lagunares (matéria orgânica, vasa salgada), sedimentos Continentais (oriundos do transporte pelas ribeiras e escorrência das águas das chuvas) e sedimentos arenosos ( provenientes das correntes de maré, sobretudo nas barras, galgamentos e ventos) que se têm vindo a consolidar com a ajuda da "morraça" que é um tipo de vegetação predominante e caracteristico desta região.

A sua fisionomia é bastante diversificada devido aos canais formados sob a influência das correntes de maré, formando assim, uma rede hidrográfica densa.

É uma zona húmida de importância internacional como habitat de aves aquáticas. Está, por este motivo, inscrita na Convenção de Ramsar, pelo que o Governo Português assumiu o compromisso de manter as características ecológicas da zona e de promover o seu uso racional.

Esta área protegida está também classificada como zona de protecção especial no âmbito da Directiva 79/409/UE.

O parque natural está geminado com Domaine de Certes - Le Teich, França, ao abrigo do Programa de Germinação de Áreas Protegidas Costeiras da Europa."


Fonte; http://pt.wikipedia.org/wiki/Ria_Formosa

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Mértola - P&B














Torre do relógio



















Panorâmica


















Arruamento














Telhados e o Guadiana




Mértola, a Vila Museu

"Mértola é uma vila portuguesa do distrito de Beja, região do Alentejo e subregião do Baixo Alentejo, com cerca de 3 100 habitantes. A vila encontra-se situada numa elevação na margem direita do rio Guadiana, imediatamente a montante da confuência da ribeira de Oeiras.

É sede de um dos maiores municípios de Portugal, com 1 279,40 km² de área e 7 332 habitantes (2009), subdividido em 9freguesias. O município é limitado a norte pelos municípios de Beja e de Serpa, a leste pela Espanha, a sul por Alcoutim e a oeste por Almodôvar e por Castro Verde.

Chamada Myrtilis Iulia (ou Mirtylis Iulia) na Antiguidade pelos Romanos, seguiu-se-lhe a ocupação visigótica e finalmentemuçulmana; por esta época era chamada de Mārtulah. Importante porto de rio, dominava o Guadiana alcantilada no seu castelo; só seria conquistada aos Mouros em tempo do rei Sancho II de Portugal, pelo comendador da Ordem de Santiago, Paio Peres Correia, em 1238."


Fonte; http://pt.wikipedia.org/wiki/Mértola

Vidigueira _ P&B




















Ermida de São Rafael

"A ermida de S. Rafael está replecta de recordações históricas. Mandada erigir pelo 4º conde da Vidigueira, D. Francisco da Gama, para ser depositária da imagem do santo que acompanhou Vasco da Gama à Índia.

No século XIX, a ermida foi profanada e caiu em ruinas. A imagem foi transferida para o Recolhimento do Espírito Santo. Aquando da trasladação dos restos mortais de Vasco da Gama para o Mosteiro dos Jerónimos a imagem acompanhou-o como já antes o fizera nas suas viagens e onde ficou colocada, sendo mais tarde transferida para o museu da Marinha.

Em 1912, a ermida foi restaurada pela Câmara Municipal que, mais tarde, nos anos 80 mandou restaurar também o seu interior."
















Igreja de São Francisco

"A igreja tem uma só nave e duas capelas. A rainha D. Maria I, ofereceu as peças mais valiosas da matriz: a imagem de Cristo Crucificado, os santos negros e a figura de Nossa Senhora das Relíquias.

A imagem de Nossa Senhora das Relíquias está colocada no altar-mor, numa redoma azul com adornos dourados, por cima do sacrário. O seu valor provém da antiguidade e dos vários séculos de veneração pelas gentes da Vidigueira e visitantes de outras terras."




















Igreja da Misericórdia da Vidigueira

"A igreja da Misericórdia foi edificada em 1592 e reconstruida em 1688, após um incêndio ocorrido no ano anterior. Está virada para poente e tem a sua lateral virada para a Praça da Républica.

Contém vários aspectos dignos de observação tais como os painéis de azulejos das autorias de António Pereira e de Gabriel del Barco. Na capela-mor da igreja pode observar-se a imagem de Cristo Crucificado, oferecida por D. Brites de Vilhena. Na mesa do altar permanece a imagem de Cristo morto contemplada por figuras em baixo-relevo. A porta da antiga Capela do Santíssimo data do final do século XVIII."

Santuário de Santa Luzia






















































Santuário de Santa Luzia

"A Basílica ou Templo do Sagrado Coração de Jesus, mais conhecido por Templo de Santa Luzia está situada no alto do monte deste nome, na cidade de Viana do Castelo, em Portugal, donde se vislumbra uma vista ímpar da região, que concilia o mar, o rio Lima(lethes) com o seu vale, e todo o complexo montanhoso, panorama considerado um dos melhores do mundo segundo a National Geographic.

O projecto da igreja é do arquitecto Miguel Ventura Terra, com óbvia inspiração na Basílica de Sacré Cœur em Montmartre, Paris.

O início dos trabalhos foi em 1903 por iniciativa do padre António Martins Carneiro.

Ventura Terra seria substituído em 1925 pelo arquitecto Miguel Nogueira que orientou a última fase das obras. Edificada sobre uma planta em forma de cruz grega. A sua arquitectura tem elementos neo-românicos, bizantinos e Góticos."




Fonte; http://pt.wikipedia.org/wiki/Santuário_de_Santa_Luzia

Cabo de São Vicente - P&B













































Cabo de São Vicente

"O cabo de São Vicente é um cabo situado no extremo sudoeste de Portugal continental, na freguesia de Sagres, concelho deVila do Bispo. Fica 4 km a oeste e 3 km a norte da Ponta de Sagres, o antigo "Promontorium Sacrum" romano, dedicado ao deus Saturno, e onde se situa uma antiga fortaleza visitável (Fortaleza de Sagres).

Em Lagos, a 25 km do cabo para leste, o Infante D. Henrique teria estabelecido a sua escola de navegação (Escola de Sagres) no século XV, que impulsionou os Descobrimentos portugueses. O pesquisador Luís de Albuquerque demonstrou tratar-se de um mito.

Do cabo é possível apreciar a passagem dos navios que transitam entre o Mar Mediterrâneo e o norte da Europa.

O Cabo de São Vicente faz parte do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Estrabão (63 ou 64 a.C. - 23 d.C.), numa descrição da Península Ibérica, começou pelo Cabo de São Vicente, chamando-o desde logo "Cabo Sagrado", dizendo:

Este cabo é o ponto mais a ocidente, não só da Europa, mas de todo o mundo habitado. (...) Além disso, o país adjacente a este cabo é chamado de "Cuneus" na língua latina, logo significando a sua forma de cunha. Mas para o cabo em si, que se projecta para o mar, Artemidoro (que visitou o local, como ele diz) assemelha-se a um navio; e ele diz que três pequenas ilhas ajudam a dar essa forma, uma dessas ilhas ocupa a posição do bico do navio, e as outras duas, que têm locais de ancoragem algo bons, ocupam a posição de cabeças-de-gato. Quanto a Héracles, diz ele, não existe nem um templo seu para ser visto no cabo (como Ephorus diz erradamente), nem um altar em sua honra, ou para nenhum outro deus, mas somente pedras em muitos locais, deitadas em grupos de três ou quatro, que de acordo com um costume nativo são giradas por aqueles que visitam o local, e então, depois de derramar uma libação, são movidas de volta. Não é regra, diz ele, ocupá-lo durante esse tempo; mas aqueles que vêm ver o lugar passam a noite na aldeia vizinha, e então entram no lugar de dia, levando água com eles, dado que não há água lá.

Depois desta descrição no seu livro Geographia, continua a citar relatos de o Sol poder ser cem vezes maior no Cabo de São Vicente ao pôr-do-sol, ou que a noite possa vir abruptamente. Mas, como ele diz, se ninguém põe o pé no local à noite, como podem saber se este fenómeno é, ou não, verdadeiro. Uma explicação que deu, segundo fontes, era de que poderia ser um efeito visual."

Fonte; http://pt.wikipedia.org/wiki/Cabo_de_São_Vicente