Número total de visualizações de página

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Vila Alva - P&B














Rua da Misericórdia





















Capela do Senhor dos Passos ou Museu de Arte Sacra e Arqueologia de Vila Alva





















Ermida de São João



Vila Alva

"Vila Alva e UMA freguesia portuguesa do concelho de Cuba , com 36,88 km ² de área e 624 Habitantes (2001). Densidade: 16,9 hab km ².

Foi Vila e Sede de concelho comeu 1836, quando anexado ao concelho de Vila de Frades , suprimido also EntreTanto. Era apenas Constituido Pela freguesia tinha e da Sede, in 1801, 713 Habitantes. Nesta aldeia Ainda podem encontrar-se exemplares Belos fazer Típico casario alentejano, de arquitectura popular: Feitas casas de taipa, caiadas de uma CAL, uma grande maioria de piso térreo com Aberturas Poucas. Telhado de UMA OU de Duas Águas coberto de Telhas; vaos tratados SEM guarnecimento de Pedra. Se apresentam ALGUMAS JÁ caixilharia de Vidro, Que fizeram de obras colocar RECENTES, a Maior Parte das casas Apresenta Ainda portadas de madeira inteiriças COM OU UM Dois Postigos, cerrados muitas Vezes, Protegendo o interior da casa do Frio e do Calor excessivos.

História

Vila Alva dados de tempos pré-Históricos. Antas NAS proximidades da Aldeia São Ainda Testemunho da gente de Outros Tempos Que habitaram here. Estás antas estao situadas nd Herdade da Anta de Cima e nd Herdade da Fareloa.

Cre-se Que o topónimo Vila tera derivado de Alguma villa rústica romana existente nd zona, Uma Vez Que FORAM Descobertas Moedas nd zona de Malcabrão , Localidade da Perto. aparece Malcabrão in alguns Parece Documentos e Medievais, alguns em, hum Diferente designar locais de Vila Alva.

Não Ano de 983, Vila Alva FOI Tomada Pelos Mouros, Sendo Mais Tarde reconquistada Por D. Sancho II. DEPOIS Cristã da Conquista e repovoar Pará como Zonas desvastadas de Além-Tejo, doadas FORAM como terras sem Termo de Vila Alva Nobres, Ordens Militares Religiosas e um. Estás terras pertenceram à Ordem do Hospital, AO Convento de Refoio de Basto, outros empreendedorismo. Não Ano de 1305, uma Viúva D. Estefânia Alvarenga e Seu Filho, Martinho Mendes trocam Malcabrão (Vila Alva) EO padroado da Igreja com el-rei D. Dinis. Em Troca, D. Dinis da D. Estefânia um bis Seu Filho o padroado de S. Miguel Lazarim e seiscentas Mais Dinheiro in LIBRAS. Em 1315, D. Dinis doa uma SUA Sobrinha de D. Isabel, FILHA de Seu Irmão D. Afonso, como vilas de Vila Alva, Vila Ruiva , OUTRAS empreendedorismo. Epidêmico A morte de D. Isabel n º Passam SUA FILHA, D. Maria de Portugal e Haro, Passando DEPOIS da SUA Morte parágrafo D. Joana Nunes de Lara, SUA FILHA. DEPOIS da Morte de D. Joana in 1367, D. Fernando I doa, um Préstimo, AO Seu guarda-mor, Vasco Martins de Melo.

Em 1368, D. Fernando doa Vila Alva à SUA FILHA Bastarda D. Isabel EA D. João, Por Que Vontade de Seu pai, D. João casaria com D. Isabel, D. Nesta tendão Isabel Altura 4 anos. O Casamento nao Realizou si, um env casou Infanta Cinco Anos Depois com o Conde D. Afonso, Filho ilegítimo do Rei D. Henrique II de Castela. Passando Vila Alva AO Longo dos Anos Pelas Mãos de Nobres Ordens e Mais.

A Misericórdia de Vila Alva FOI in fundada 1658 Pelo prévia António Pereira, Como o protetor tendão Duque de Cadaval. Vila Alva FOI concelho ouvidor TeVe e, juízes ordinários, vereadores de Três, procurador de concelho, Escrivão da Câmara e alcaide. O concelho FOI in extinto 1836 e incorporado nenhum de Vila de Frades, extinto also. DESDE 1854 Pertence Que AO concelho de Cuba , Sendo uma aldeia SUA Mais Típica."


Fonte; http://terrasdeportugal.wikidot.com/vila-alva

Alvito - P&B








































Igreja Matriz de Alvito

"Formando um interessante conjunto arquitectónico, a Igreja Matriz de Alvito - consagrada a N. Sra. da Assunção e situada na vila alentejana de Alvito - é um templo manuelino de grande beleza estética, provavelmente levantado entre os finais do século XV e os começos do seguinte.
Reforçada por contrafortes nos flancos, a sua frontaria é marcada por poderosos e sólidos gigantes graníticos de três pisos e rasgados por gárgulas. Entre estes abre-se o portal maneirista, composto por arco de volta perfeita com colunas pinaculadas e rematado superiormente por frontão triangular, sobre o qual se dispõe o imenso janelão do coro, terminando em empena triangular.
Os diversos volumes exteriores do templo são marcados pelos contrafortes laterais com gárgulas, entre os quais estão abertas as janelas do templo. A nave axial é mais alta, amparada por arcos-botantes que descarregam o peso sobre as massas dos contrafortes. A cimalha do templo, bem assim como a nave axial mais elevada, são percorridas por ameias chanfradas e molduradas, nalguns casos intervaladas por esguios coruchéus. A altiva torre sineira eleva-se acima da cabeceira, com a cimalha marcada por pináculos e a cobertura realizada por um coruchéu.
O corpo da igreja é dividido em três naves, a central mais elevada e mais larga, repartidas em quatro tramos e por desenvolvido transepto, este último marcado por arco quebrado - tal como o das capelas colaterais ( capelas funerárias que albergam os túmulos dos Senhores de Alvito) e do arco triunfal -, enquanto os restantes apresentam arcaria plena. Sustentam uma cobertura de abóbadas ogivais de cruzaria, ostentando nas chaves das abóbadas nervuradas do centro a Cruz de Cristo e outros símbolos. Ao fundo da igreja, sobre largo arco abatido, está o coro alto.
Na nave central encontra-se um elegante púlpito em mármore, de linhas clássicas e com balaústres. Nas paredes das naves laterais estão diversos retábulos de talha dourada barroca, expondo várias imagens de santos. Esta decoração exuberante harmoniza-se com o revestimento, a meia altura, dos tapetes de azulejo-padrão do século XVII (c. 1647) e dos painéis superiores com a figuração de santos.
A capela-mor é coberta por uma abóbada de berço com caixotões, pintada com ornamentos seiscentistas. Tem revestimento de mosaico azulejar nas paredes, enquanto o frontal do altar-mor é pintado com uma composição a fresco - onde se observa a Pièta rodeada por anjos, S. João e as Santas Mulheres. O retábulo arranca de uma estrutura em mármore e é uma obra em talha dourada do Barroco Nacional. Sobre o trono escalonado está a padroeira deste templo.
A Igreja Matriz de Alvito foi classificada como Monumento Nacional (M.N.) em 1939."



Paderne - P&B














































Castelo de Paderne

"O Castelo de Paderne, no Algarve, localiza-se na cidade e freguesia de mesmo nome, Concelho de Albufeira, Distrito de Faro, emPortugal.

Ergue-se em posição dominante sobre a ribeira de Quarteira, cerca de dois quilômetros ao Sul da cidade. Um dos sete castelosrepresentados na bandeira de Portugal, as suas ruínas, de cor avermelhada, constituem um dos exemplares mais significativos daarquitectura militar muçulmana na península Ibérica, destacando-se na paisagem como um aviso de chegada ao Algarve para quem entra na Via do Infante, vindo da A2. O efeito cenográfico é multiplicado à noite, graças à iluminação instalada pela Região de Turismo do Algarve."


Fonte; http://pt.wikipedia.org/wiki/Castelo_de_Paderne

Évora - P&B



































Praça do Giraldo

"O chafariz da Praça do Giraldo foi construída em 1571, esta emblemática peça em mármore branco, classificada como monumento nacional desde 1910, é atribuída a Afonso Álvares.

A tradição popular faz corresponder as oito carrancas de bronze, tal como a coroa de remate, às oito ruas que desembocam na praça."

Lagos - P&B






















































Forte da Ponta da Banheira, Lagos

"O Forte da Ponta da Bandeira, também denominado como Forte do Pau da Bandeira, Forte de Nossa Senhora da Penha de França, ou ainda como Forte do Registo, localiza-se no Cais da Solaria, freguesia de Santa Maria, em Lagos (Portugal).
O forte foi erguido no contexto da Guerra da Restauração, entre 1679 e 1690, junto ao porto, com a função de defesa daquele ancoradouro e para complemento da defesa de Lagos."