Número total de visualizações de página

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Tavira - P&B














Igreja Matriz de Santiago
"As suas origens remontam à segunda metade do século XIII. O Rei D. Afonso III doou, em 1270, o padroado desta igreja ao Bispo e ao Cabido de Silves. Foi reconstruída, no século XVIII, na sequência do terramoto de 1755. O interior apresenta vários retábulos em talha, imagens e pinturas sacras, algumas provenientes de outros templos da cidade."






















Igreja Matriz de Santa Maria do Castelo

"Edificada no século XIII sobre a antiga mesquita do tempo da ocupação muçulmana, é um templo de três naves de alturas diferenciadas que conserva ainda vestígios góticos. A igreja ficou arruinada pelo terramoto de 1755, tendo sido reconstruída por intermédio do Bispo do Algarve, D. Francisco Gomes do Avelar, segundo um projecto neoclassicista do arquitecto italiano Francisco Xavier Fabri. O grande mérito da intervenção foi a articulação harmoniosa entre o projecto moderno de sabor classicista com o que restava da primitiva igreja, resultando numa assumida e peculiar igreja ecléctica. O arquitecto reconstruiu o templo com três naves e quatro tramos. A cabeceira e algumas capelas laterais foram reaproveitadas, constituindo importantes testemunhos do primitivo templo. Também o antigo portal gótico se manteve, integrando-se na nova lógica neoclássica da fachada principal.
Do século XVI sobrevive a capela lateral do Senhor dos Passos, construída na década de 20, sendo coberta por uma abóbada polinervada, de grande efeito arquitectónico e decorativo, constituindo um bom exemplo de interpretação local do estilo manuelino.
Aqui foram armados cavaleiros os filhos de D. João I, após a triunfante conquista de Ceuta, em 1415. É de assinalar também a presença, na capela-mor, de duas inscrições lapidares correspondentes aos túmulos dos heróis e mártires celebrizados no episódio da conquista de Tavira aos mouros. No interior da igreja, para além de alguns retábulos em talha do período barroco e rococó, destacam-se os diversos exemplares de azulejaria, de pintura e de imaginária religiosa."